755 BOLSA CCI 2021 vencedores

 

 

A Cátedra Cascais Interartes atribui uma bolsa anual, a trabalhos de investigação sobre as obras Almada Negreiros, Ana Hatherly, Bartolomeu dos Santos, Branquinho da Fonseca, David Mourão-Ferreira, Fernando Lopes-Graça, Herberto Helder, João Abel Manta, João Gaspar Simões, Maria Archer, Maria de Lourdes Martins, Mário-Henrique de Leiria, Rubben A., Michel Giacometti e Sarah Affonso.

 

Consulte o regulamento. AQUI.

 

 

BOLSA CÁTEDRA CASCAIS INTERARTES EDIÇÃO 2021


 

 

O júri, constituído pelos Professores Mário Avelar, que presidiu, Isabel Pires de Lima e João Pedro d'Alvarenga, decidiu, por unanimidade, em reunião no passado dia 23 de março, atribuir a Bolsa de Investigação Cátedra Cascais Interartes 2021/2022 ao Doutor Bernardo Palmeirim, pelo projeto Cinco Canções Lacunares de Herberto Helder, "devido à sua originalidade e impacto na comunidade, decorrente da diversidade de actividades enunciadas e dos diferentes públicos-alvo, e à pertinência da reflexão delineada no estudo ensaístico." O projeto desenvolver-se-á entre setembro de 2021 e junho de 2022, tratando-se de investigação, que cruza música e poesia, a partir de poemas de Herberto Helder, e culminará na gravação de um álbum spoken word das cinco Canções Lacunares, e numa conferência, encerrada por um concerto com projeção vídeo.

 

A Bolsa tem o valor de 5.000,00€.

 

Bernardo Palmeirim é Doutorado em Teoria da Literatura, com a dissertação What is Poetic Attention, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; é Leitor de Inglês (100%) na FLUL,( leccionação de níveis avançados e Creative Writing no nível de proficiência; História e Cultura dos EUA sécs. XX-XXI), Coordenador do Ensino da Língua Inglesa, no Departamento de Estudos Anglísticos da FLUL, Membro integrado do CEAUL (Centro de Estudos Anglísticos da UL), e investigador no Grupo de Investigação 3 (Estudos Norte-Americanos).

 

O júri deixou expresso em ata a sugestão de atribuir uma segunda Bolsa à Mestre Joana Malta pelo projeto Fernando Lopes-Graça seareiro, "pela focalização e amplitude que o projecto apresentado concede a personalidades que estão no centro das actividades da Cátedra". Por proposta do Dr. Salvato Teles de Menezes, Presidente da Fundação D. Luís I, o Conselho Diretivo da Fundação acolheu positivamente esta sugestão, tendo decidido atribuir uma segunda bolsa de investigação, em 2021.

 

O projeto desenvolver-se-á durante 12 meses, a partir de setembro de 2021, prevendo-se a realização de duas exposições e duas conferências, com uma publicação final, em suporte informático, dos resultados do estudo realizado, a partir dos textos que Fernando Lopes-Graça publicou na revista Seara Nova.

 

Joana Malta é técnica superior especialista em estatística no Instituto Nacional de Estatística, e assistente convidada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, tendo já leccionado diversas unidades curriculares dedicadas às metodologias quantitativas de análises de dados nos cursos de Sociologia, Ciência Política e Relações Internacionais e Ciências da Comunicação.

 

É investigadora do Seminário Livre de História das Ideias e está integrada no centro de investigação CHAM – Centro de Humanidades, pertencente à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e irá defender brevemente a sua tese de Doutoramento com o título Da narrativa histórica à história digital: estudo da edição digital da revista A Águia, dedicada ao estudo das revistas de ideias e cultura através de metodologias quantitativas de mapeamento da informação recolhida pelo grupo de trabalho Revistas e Ideias e Cultura, do qual é membro integrante.

 

 

 

B O L S A S    A T R I B U Í D A S   A N T E R I O R M E N T E 


 

Em 2018:
- Projeto MÃOS OBLÍQUAS de Rita Miranda
- Projeto ANA HATHERLY, PROGRAMABILIDADE E CRIAÇÃO de Ana Marques
- Projeto FERNANDO LOPES-GRAÇA E A LITERATURA MODERNA BRASILEIRA de Guilhermina Lopes

 

Em 2017:
- Projeto O ESCRITOR NA SALA DE CINEMA de Raquel Morais

 

 


CÁTEDRA CASCAIS INTERARTES | Surgiu por iniciativa da Fundação D. Luís I e da Câmara Municipal da Cascais, como uma ação inovadora no panorama dos estudos literários e artísticos contemporâneos em Portugal, tendo como missão a investigação aprofundada sobre as obras de autores ligados a Cascais e ao mundo, numa dimensão comparatista, de diálogo interartes e de encontro com obras de outros criadores.